Foi em Osigo, na região italiana de Veneto, que o chef Ricardo Almeida se inspirou para criar o cardápio do restaurante e enoteca Osigo. Coincidentemente, ele está situado na Rua São Jorge, que é também o nome do padroeiro da cidade de Osigo. A fachada é bem discreta e, se não fosse pelo logotipo iluminado e pelo aviso de “aberto” na porta, o lugar passaria por uma casa residencial a quem circulasse pela região.

Toquei a campainha e esperei virem atender. Logo na entrada, à esquerda, já avistamos a adega, de onde podemos escolher entre uma variedade grande de vinhos de diversos países. Notei o cuidado com a elaboração da carta de vinhos. Difícil escolher entre tantos.

A casa possui um salão espaçoso e com muitas mesas, mas desde que entrei fui tomada por um clima romântico e aconchegante. A iluminação, a decoração e a música que estava tocando (True, do Spandau Ballet) se encarregaram desse clima. 

Ventava demais na rua e a folhagem que escondia a cidade lá fora balançava pra lá e pra cá, parecia dançar no ritmo da música. 

Eu poderia ter iniciado com o buffet de antepastos que estava lindo: petiscos com camarão, polvo marinado, aspargos grelhados, queijos, embutidos e várias coisinhas interessantes dispostas em uma mesa redonda, mas dessa vez resolvi ficar apenas com o prato principal. 

Sou dessas que, antes de chegar ao local, procura o site na internet pela curiosidade em relação ao cardápio. O resultado foi que eu já saí de casa babando pela descrição de um prato e torcendo pra que ele estivesse realmente sendo servido no momento. Tive sorte. A descrição é a seguinte: linguado recheado com aspargos frescos, queijo brie e manteiga de laranja e açafrão. Veio acompanhado de uma salada verde com tomatinhos-cereja.

Preciso dizer aqui que, de maneira nenhuma a foto faz jus à delícia que é esse prato. É daqueles que, a cada garfada, sente-se um sabor e textura diferentes. Primeiro, o peixe que estava muito suculento e temperado na medida certa. Depois, o sabor do aspargo que combinou perfeitamente e o auge foi a sutil manteiga de laranja e açafrão que se misturava a tudo isso. Era como se eu tivesse várias sensações distintas: a da combinação de todos os ingredientes e também de cada um deles, separadamente. 

Além de frutos do mar, há várias opções de massas, caças, carnes e risotos. Os pratos são individuais e digamos que matam a fome, mas não a gula. O outro prato escolhido foi o nhoque de batata gratinado com cebola confitada e queijo brie ao molho veloté. O prato veio fervendo da cozinha e pelo que provei posso dizer que também estava ótimo. Nhoque do jeito que eu gosto: molinho sem desmanchar e com bastante gosto de batata. 

Escolhemos uma garrafa pequena do vinho argentino Nieto Senetiner para acompanhar o jantar. O que entendo de vinho é apenas se está bom ou não. No caso, estava muito bom, pelo menos pro meu paladar.

Já está virando rotina mostrar banheiros aqui no Destemperados, né? Acho que o blog deve ter fotos suficientes para criar um Tumblr especialmente pra mostrá-los. Esse banheiro, além de charmoso, estava bem cheiroso.

Pra finalizar, dividimos um semifreddo de torrone que veio coberto por lascas de amêndoas e calda de chocolate. Semifreddo seria um tipo de sorvete que não é totalmente um sorvete, algo como um “semi-congelado” traduzindo do italiano, e com uma textura um pouco diferente.

Posso dizer que essa experiência foi uma das melhores que tive ultimamente em Floripa, e os cerca de 130 reais que a custearam, tirando o vinho e a taxa de serviço que não é cobrada, foram muitíssimo bem investidos.

Osigo Enoteca e Cuccina Italiana
Rua São Jorge, 135 - Centro
Florianópolis/SC
Fone: (48) 3025-1127
www.osigo.com.br