13/07/2017

Vamos sair para comer uma proteína? | Luiz Américo Camargo

Destemperados

Foto: Aluísio Pinheiro

Não sei se é para emular o jargão dos cozinheiros profissionais. Os termos do nutricionismo. Ou se é influência da cultura marombeira, com seus suplementos e rituais. Mas o que é essa mania de ficar chamado carnes variadas de “proteína”? (Como se já não bastasse usar carboidrato, a torto e a direito, como sinônimo de arroz ou macarrão...) 

Vem acontecendo nas situações mais prosaicas. “Fiz o almoço em casa, no domingo. Uma salada, legumes no vapor. A proteína, eu grelhei. Ah, sim, e o carboidrato foi mandioca”. Aposto que vocês já ouviram esse tipo de conversa. Seria ainda um cacoete da linguagem dos reality shows de comida? “Já cozinhei tudo, só falta finalizar a proteína”.

Implicâncias do colunista e gozações à parte, é evidente que cada um se expressa como quiser. Porém, o pior de tudo é quando a moda chega aos restaurantes. Aconteceu por esses dias. Abri o cardápio de almoço de uma casa ainda nova e o que vejo lá, no menu, entre saladas, massas, sobremesas? Proteínas! Simplesmente para designar que, sob o pomposo nome, estavam carne com fritas, frango assado, o peixe do dia...

Se é para fazer assim, vamos brincar direito? “E aí, você fritou este bolinho de proteína em que tipo de triglicerídeo? O sólido (banha) ou o líquido (óleo)? Me sugere um carboidrato para acompanhar a proteína: batata ou macarrão? E a sobremesa, é adoçada com monossarídeo, mesmo?” Não carece, vamos concordar.

Gastronomia e nutrição são coisas diferentes (preparação física, por sua vez, é um outro tema, de uma outra praia). Se a primeira busca o que é gostoso e bem feito, a segunda trata a comida por um ponto de vista de saúde. É ótimo quando ambas andam juntas, facilitando para que a maioria se alimente bem, em todos os sentidos. Agora, não vamos deixar de comer um peixe, um purê, um molho, para começar a falar (e escrever) num falso tecniquês que tira o apetite... 

(E olha que eu nem entrei na crescente menção de alimento como sinônimo de comida. “Pessoal, vamos sentar à mesa? O alimento está pronto.” Também não precisa.)

LEIA OUTROS TEXTOS DE LUIZ AMÉRICO CAMARGO
// Ele só queria ver você satisfeito
// Eu voto na farofa