08/01/2013

Slow Food no Daqui AntirrestauranteRS

Fernanda Iensen

Hoje eu saiu um pouco do caos da cidade e fui até Viamão (cidade que fica a mais ou menos uns 15km de Porto Alegre), pra um almoço de sábado em um sítio. Depois de tanto me falarem, finalmente consegui uma reserva no Daqui Antirrestaurante, que fica numa pequena propriedade rural, o sítio Arupa. 

O sitio tem horta, pomar, vaca de leite e alguns açudes. Toda a produção é orgânica e pra consumo próprio. O casal Deva e Paula comandam o sitio. O Deva cuida de todo o sitio e a Paula comanda as panelas.

Chegamos por volta das 12h30, já que o almoço seria servido pontualmente às 13h. Logo na chegada, fomos recebidos pelo Deva, entramos na casa e logo veio a Paula nos dar uma abraço apertado, recepção super calorosa.

As mesas para o almoço estavam lindamente arrumadas, com flores e plaquinhas com os nomes das reservas, alem do cardápio que nos esperava (achei super legal que a gente sabia exatamente de onde vinha cada ingrediente).

Um show de jazz rolando na TV da sala e eu não poderia estar em um lugar melhor.

O negócio é se sentir em casa, sentar no sofá curtir uma musica e relaxar até todo mundo chegar e o almoço começar.

Tudo que comemos no sítio era colhido e produzido lá mesmo ou comercializado com os sítios próximos ou produtores orgânicos locais.

Logo na chegada fomos recebidos com uma clássica cachacinha de butiá.

A água aromatizada fazia parte do menu e ficava a vontade na geladeira. Cada mesa ia lá e pegava a sua. Mas se quiser pode levar qualquer bebida.

Depois que todo mundo chegou, a Paula falou um pouco sobre o sitio e explicou com detalhes o cardápio. Eu já tava salivando nesse momento.

Pra começar os trabalhos, pãezinhos de inhame, plantado no sitio e pastinhas: manteiga aromatizada, antepasto de abobrinha e patê de fígado de coelho de um produtor vizinho ao sítio.

De entrada, uma saladinha de folhas verdes com sorbet de gaspacho de beterraba e uma farofinha de pão por cima.  Gente, não sabia que sorbet de beterraba era tão bom!

O primeiro prato foi um nhoque de aipim com molho de tomate e sálvia crocante inacreditável! Posso falar sem demagogia, foi o melhor nhoque que já comi na minha vida. Ele parecia um travesseirinho fofinho que derretia na boca de tão macio.

O segundo prato era ninho de confit de costela desfiada, cenoura e lentilha com uns bolinhos de paaner (feito com queijo indiano). Esse prato era em homenagem aos ninhos de pássaros feitos durante a primavera no sitio. Achei tão bonitinho!

E pra encerrar esse almoço cheio de carinho e estilo “slow food” de se alimentar, um sorvete de lavanda em cima de um pão de ló de limão, farofinha e geleia amarga de limão que eu quase quis repetir!

Foi muito mais que um almoço, uma experiência de comer uma comida deliciosamente preparada com produtos locais, orgânicos, em um ambiente de calma, paz, dividindo a mesa com pessoas que no início não se conheciam, mas que no final já pareciam velhas amigas.

Esse é o casal Deva e Paula ao lado o Gabriel, que estava ajudando com os pratos.

O valor desse banquete você mesmo define, já que não existe valor para os pratos. O esquema lá é cada um pagar o que achar justo. É só deixar o dinheiro em um envelope antes de sair.

Daqui Antirrestaurante
www.antirrestaurante.blogspot.com.br
daqui@arupa.com.br

Fernanda Iensen