16/05/2012

O verdadeiro bacalhau no Taberna IbéricaSC

Renata Diem

O Taberna Ibérica é recente em Floripa; abriu há cerca de seis meses. Eu ainda não tinha ouvido falar sobre ele, soube por acaso pela internet e vi que oferecia uma culinária tipicamente portuguesa e mediterrânea. Resolvi conferir.

Esse é um daqueles lugares que te fazem sentir bem assim que colocas os pés. Decoração moderna e romântica; os ambientes cuidadosamente separados ou agregados, divididos por detalhes bem cuidados.

Quem nos atendeu foi o solícito Paulo, que assim que notou minha empolgação com o lugar nos acompanhou em um tour por todo o restaurante antes de escolhermos uma mesa.

Eles possuem vários ambientes, desde o mais iluminado logo na entrada, com amigos bebendo e conversando, até um cantinho mais romântico onde jantava um casal.

Meu ambiente preferido foi este com vista privilegiada para a ponte Hercílio Luz e foi ali mesmo que escolhemos sentar.

Antes de nos instalarmos por completo, Paulo nos mostrou a adega da casa, que é um encanto.

Depois disso fui obrigada a iniciar com um vinho, com aquela desculpinha de que é pra abrir o apetite. Enquanto isso, Paulo nos falava sobre o autêntico bacalhau norueguês que eles servem no restaurante e sobre o rodízio de bacalhau que eles oferecem toda sexta à noite.

Eu estava indecisa sobre o que comer, pois o cardápio oferece desde carnes, passando por massas e frutos do mar. Mas foi dar de cara com a palavra lasanha que a indecisão foi pro brejo, mesmo a lasanha sendo de bacalhau (não sou muito fã). Essa leva, além do bacalhau, camarões, espinafre, molhos branco e de tomate. Minha curiosidade em experimentar pratos diferentes às vezes fala mais alto.

Do outro lado da mesa foi pedido um prato simples e certeiro: filé com ovo frito, arroz e batata frita (que no restaurante eram chamadas de: “batatas estaladiças”). Já arregalei os olhos praquele ovinho de bordas crocantes.

Obviamente acabei experimentando dos dois e confesso que o tempero do filé me conquistou muito mais que a lasanha, que também estava saborosa e bem recheada. Nesse caso foi uma questão de gosto mesmo. Preciso aprender a não ceder sempre à minha curiosidade. Depois eu descobri o porquê de eu ter gostado tanto do filé: alho, muito alho.

O cheirinho de canela vindo da mesa ao lado nos fez pedir a encharcada de sobremesa, que é feita com ovos e canela. É como uma espécie de quindim mais molhadinho, mas não leva coco.

A conta, mais salgada do que o bacalhau - porém justa -, chegou nesta bonita caixinha e deu cerca de 47 reais por pessoa, sem incluir bebidas.

Antes de irmos embora, caiu uma chuva forte e enquanto esperávamos estiar, paramos um pouco no bar. Não dava vontade de ir embora tão cedo daquele lugar.

Taberna Ibérica 
Rua Felipe Schmidt, 1333 - Centro 
Florianópolis/SC 
Fone: (48)  3225-0913


SC Renata Diem