26/11/2017

Estômago: café vegano para fugir do óbvio | Porto AlegreRS

Paula Bañolas

Carregando a galeria...
Café da casa, leite de amêndoas cremoso e raspas de chocolate orgânico
Café da casa, leite de amêndoas cremoso e raspas de chocolate orgânico
Torta de amendoim com base de tâmara e nozes
Torta de amendoim com base de tâmara e nozes
Coxinha de jaca e molhinho de pimenta
Coxinha de jaca e molhinho de pimenta
Close na pimentinha
Close na pimentinha
Olhem só esse recheio! Ninguém diz que não é frango
Olhem só esse recheio! Ninguém diz que não é frango
Pastelão de palmito e vinagrete
Pastelão de palmito e vinagrete
Burger de feijão, fritas na cúrcuma
Burger de feijão, fritas na cúrcuma
Close no hambúrguer
Close no hambúrguer
Bebidinhas: chá gelado batido com limão e suco amarelo
Bebidinhas: chá gelado batido com limão e suco amarelo
Torta com base de nozes e tâmaras, creme de amendoim com óleo de coco e calda de morango
Torta com base de nozes e tâmaras, creme de amendoim com óleo de coco e calda de morango
Ambiente interno do Estômago
Ambiente interno do Estômago
Mais do ambiente interno
Mais do ambiente interno
Fachada do café
Fachada do café

POR QUE IR?

- O Estômago é um café totalmente vegano localizado no bairro Rio Branco, em Porto Alegre, que tem dado muito o que falar nos seus pouco mais de 8 meses de vida. O nome curioso já é um atrativo por si só, confirmado pelo luminoso logo acima da porta principal, uma representação do órgão que muitas vezes sobressai a razão do seu amigo cérebro na hora de escolher o que comer.

- Talvez a provocação por trás do nome seja justamente essa: deixar o estômago te levar a escolher coisas gostosas pra comer, mas sem deixar de lado a razão ao escolher uma opção que seja sustentável, em favor dos animais e do meio ambiente.

- O diferencial do lugar é desafiar o óbvio e desmistificar o veganismo. Não, não precisa ser salada. Não, não precisa ser sem gosto, nem necessariamente super saudável. Dá pra comer muito bem, com muito sabor e dá pra ser aquela comida mais gordurosa, tipo comfort food.

- O cardápio sempre conta com novidades, que mudam semanalmente. Toda vez tem algo novo pra provar.

CLIMA DO LUGAR

- O casarão na esquina da Miguel Tostes com a Castro Alves chama a atenção pelo luminoso em formato de estômago acima da porta, além da escultura (eu quero dizer grega, mas não tenho certeza quanto ao estilo) que fica logo na entrada. Só de passar pela frente nossa curiosidade já se desperta.

- No interior, móveis antigos, tapetes enormes e um ar de casa de vó. Ideal pra se sentir à vontade, com clima aconchegante e meio nostálgico. Recentemente, foi inaugurado o segundo andar da casa, então agora tem ainda mais espaço pra sentar e curtir o lugar.

- Na rua também tem umas mesinhas, pra aproveitar os dias de sol e ver o movimento. A árvore enorme que fica na esquina em frente à casa é lindona, e serve de sombra nos dias de muito calor.

PROVAMOS E RECOMENDAMOS

- Começamos com o carro-chefe da casa. A coxinha de jaca (R$12,00, a porção com três coxinhas pequenas), bem fritinha, crocante por fora e bem cremosa por dentro. Acompanha um molhinho de pimenta que dá um toque a mais no sabor e complementa com uma picância no nível certo.

- Como não tínhamos almoçado, resolvemos provar os itens “maiores” do cardápio, que servem muito bem como refeição. O primeiro foi o pastel de palmito Juçara (R$15,00), frito na hora e acompanhado por um vinagrete. Bem grandão, bem recheado. Te faz pensar que queijo e outros recheios são realmente dispensáveis.

- Comemos também o hambúrguer de feijão com cebola caramelada (R$24,00). Não sei nem o que dizer. Incrível mesmo. O hambúrguer tem uma crostinha bem crocante por fora e é bem cremosão por dentro, parece uma mistura de purê com feijão mexido. Sensacional. E vem com batatinhas rústicas temperadas com cúrcuma e um catchup de goiabada. Na minha opinião, foi o melhor prato do dia.

-  Para acompanhar a comida, pedimos um suco amarelo (R$6,00, 300ml), feito com laranja, cenoura, maçã e hortelã e um chá gelado batido com limão (R$6,00). Um melhor que o outro, bem refrescantes e super gostosos.

- Por fim, mas não menos importante, a sobremesa. Dividimos uma fatia da torta crudívora (R$16,00), que leva uma base de nozes com tâmaras, recheio de amendoim com óleo de coco e calda de morango. Só de lembrar me dá água na boca. Pedimos dois cafés pra tomar com o doce, um espresso (R$4,80) e um café que era novidade no cardápio, com leite cremoso de amêndoas e raspas de chocolate orgânico (R$9,00). Saímos do Estômago de barriga cheia (trocadilho infame).

SÓ TEM LÁ

- Porto Alegre é uma cidade com um número bem considerável de lugares vegetarianos e veganos para comer. O grande diferencial do Estômago, pra mim, é essa pegada da comida gostosa, bem comfort food mesmo, que não perde em sabor por não ter produtos de origem animal. É uma comida pra abrir a cabeça até do pessoal mais carnívoro.

- Não bastasse o lugar ser legal e a comida ser boa, rolam vários eventos por lá. Desde feirinhas de design e comidinhas, até brechós e show de jazz. Aos sábados e nos feriados, eles abrem mais cedo e servem um almoço do dia.

- Dá pra fazer happy hour lá também! O cardápio de drinks e cervejas agrada qualquer paladar.

IDEAL PARA

- Ir com os amigos; Ir a dois; Happy hour com a galera.

Estômago Café Vegano
Endereço: R. Miguel Tostes, 275 – Rio Branco
Fone: (51) 3573-5396
E-mail: estomagocafe@gmail.com
Redes sociais:  www.facebook.com/estomagocafe e www.instagram.com/estomagocafe
Formas de pagamento: Dinheiro, cartões de débito e crédito
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 13h às 20h, e aos sábados, das 12h às 20h
Reservas: Por telefone, e-mail ou pela página do Facebook

RS Paula Bañolas